Como sair do caos rapidamente


O caos aplicado à vida acontece quando uma série de eventos contribuem para que o cenário com o qual estamos acostumados a viver, seja abalado. Algo dá errado aqui, em uma outra situação ali, e quando vemos, estamos embolados em uma série de problemas que parecem sem fim.

De acordo com pesquisadores, a carga genética e as experiências contribuem para a formação de circuitos neurais que contribuem para a capacidade de força psicológica e a maneira como os desafios são encarados. Sob a perspectiva neurocientífica, uma descarga química é liberada diante de uma situação indesejável, através de disparadores de  hormônios como corticotropina, que provoca a descarga de adenocorticotrópico na corrente sanguínea, promovendo a liberação de cortisol - hormônio do estresse. Porém, existem substâncias que podem enfraquecer essa resposta, aliviando o estresse e promovendo a capacidade de ser resiliente - habilidade de lidar com a adversidade sem perder o equilíbrio.

A capacidade de ser resiliente depende dos caminhos neurais relacionados ao medo, à recompensa e à regulação de estímulos sociais e emocionais, sendo que esses circuitos se tornam sobrepostos a algumas estruturas cerebrais. A amígdala também regula o medo e o sistema de processamento de emoções ligados à recompensa, influenciando comportamentos sociais e relações amorosas. O córtex cerebral está ligado à capacidade de tomar decisões mais complexas.

Portanto, a maneira como a pessoa enfrenta o medo frente ao caos, estaria relacionada à sua capacidade de ser otimista mesmo em situações de estresse, ligada à capacidade de desenvolver atividades agradáveis (recompensa) mesmo em tempos conturbados. Perseverar, manter um autoimagem satisfatória e a esperança permitem que a pessoa consiga desenvolver estratégias de ação.

Compreender o mecanismo cerebral por trás do caos é importante tanto para intervenções psicológicas, como na administração de medicamentos que equilibrem esta química. Contudo, a mensagem do caos está muito além do desenvolvimento da capacidade de ser resiliente. 

O Universo tende à perda de energia, fenômeno conhecido como "entropia"(a zona de conforto é um exemplo). A entropia tende a promover situações de caos - uma forma natural de fazer com que o sistema volte à ordem. Através do caos, é preciso gerar informação para poder resolver os problemas. A captação de informação promove a expansão da consciência, que por sua vez gera crescimento, que promove ganho de energia e portanto, volta natural ao estado de ordem. A vida enquanto perspectiva energética ocorre em sistema de picos e vales, sendo os picos os momentos em que estamos tranquilos (em ordem), e os vales os momentos conturbados (caos). Este movimento faz parte da natureza energética.

Através desse sistema é possível perceber que, mais do que desenvolver meios de se conservar resiliente, o caos vem para fazer com que a pessoa cresça dentro do sistema, e deve ser visto como uma ótima oportunidade para gerar novos conhecimentos e expandir. Quanto mais a pessoa se dedicar em manter o equilíbrio e ao mesmo tempo, estudar e desenvolver ideias criativas para a resolução de seu período caótico, mais rápido o sistema volta à ordem através da geração de energia.

Da mesma forma, manter-se informado, desenvolvendo novos interesses e optando por sair da zona de conforto sempre, mesmo quando as coisas estão bem, contribui para que o caos passe mais rapidamente e que a pessoa se restabeleça em ocasiões de caos. 


Fonte de dados: Revista Mente e Cérebro ed. especial 50/Neurociência 2. 

Imagem de Hans Braxmeier por Pixabay

Postagens mais visitadas