Prática de alimentação consciente: uma aliada


A prática da alimentação consciente permite que o cérebro se ajuste a novos hábitos sem mudanças impositivas ou que parecem sem sentido.

Geralmente nos alimentamos inconscientemente, sem pensar nas consequências do que estamos consumindo. Só percebemos a inconsciência do ato quando os impactos estão causando algum tipo de dano, como sobrepeso, doenças inflamatórias, cansaço, problemas digestivos, entre outros. 

Quando fazer qualquer coisa conscientemente, inclusive comer, passa por cima das configurações do cérebro e se comunica diretamente com o "cérebro de cima", ou seja, o responsável pelos pensamentos e ações conscientes. A ação inconsciente é regida pelos cérebros reptiliano e límbico, responsáveis, respectivamente, pelo instinto e pela emoção. A alimentação passa a responder ao instinto de sobrevivência e utilizada como recurso de apoio emocional. Já quando passamos a alimentação para uma ação consciente, nos alimentamos pautados pela razão, com maiores chances de desenvolver o estado de saúde.

Para alteração o ato alimentar de inconsciente para consciente, adote uma prática simples. Das próximas vezes em que for comer algo, refeição ou lanche, siga esses passos:

1. Faça uma pausa antes da primeira mordida/garfada e respire fundo.
2. Pergunte-se: "por que estou comendo isso?"
3. Seja qual for a resposta, preste atenção à ela e se possível, anote - a primeira informação que vier à cabeça, não racionaliza. Dessa forma você criará um diário de conscientização alimentar. 
4. Escolha prosseguir comendo ou não, de forma consciente.

O objetivo desse exercício é retomar um biorritmo normal de fome e saciedade. Quando faz uma pausa, antes de comer, a razão primeira deveria ser "estou com fome", mas há outras razões pelas quais as pessoas procuram alimentos:

- Estou entediado.
- Não consigo resistir
- Preciso de consolo
- Não tem sentido desperdiçar toda essa comida
- Estou estressado
- Estou com muita vontade de comer isso
- Estou deprimido
- Estou ansioso
- Não sei por quê
- Estou me sentindo sozinho
- Estou cansado de dietas
- Estou comendo para acompanhar as outras pessoas que estão comigo
- Não sobrou muito. Acho que vou comer o restinho.
- Quero comemorar
- Eu mereço

Caso venha uma dessas respostas, não é recomendável julgá-las nem se forçar a rejeitar a comida devido à culpa, este não é o objetivo. O objetivo é simplesmente tornar-se consciente de que o ato de se alimentar nem sempre é pela finalidade ao qual se destina - saciar a fome e garantir a sobrevivência. Tomando consciência de si, as mudanças tendem a acontecer com menor esforço. 

Em alguns casos o simples fato de parar de comer inconscientemente faz com que a pessoa facilite a resolução de problemas de peso e de saúde ligados à alimentação, sobretudo se for um problema leve ou moderado.


Fonte: Você é a sua cura - Deepak Chopra 


Imagem de Яна Тикунова por Pixabay

Postagens mais visitadas