Conheça as características e causas do vício em trabalho

O autor Aaron Kipnis escreveu em seu livro Knights Without Armor  sobre as características, causas e consequências do vício em trabalho, ao qual se refere como workaholism.




As características envolvem perfeccionismo obsessivo, além da necessidade de criar. A pessoa tende a comprometer excessivamente a energia em diversos projetos valiosos, o que leva à exaustão e isolamento do trabalho e da família.


O trabalho excessivo pode ser um escape, uma forma de enterrar medos, encobrir o vazio e evitar ansiedade em relação à questões de relacionamentos.  Isso é bastante comum, as pessoas tendem a evitar essas questões por não se sentirem merecedoras, estimadas, seguras no senso de pertencer ou ainda, não se sentem boas o bastante.

Segundo o autor, o vício em trabalho leva ao embotamento, que causa perda de sensibilidade emocional e até, física. As pessoas tendem a voltar do trabalho para a casa sem interagir com a família, alguns buscam algo para beber ou comer e passam o resto da noite em frente à tv, Essa apatia tem um efeito rebote: para contrabalançar a falta de sensações, as pessoas desenvolvem vícios e hábitos que fornecem estímulo e intensidade, como agitação e conflitos em seus relacionamentos. Surgem as brigas por banalidades e inconsequências, evitando-se tratar das questões escondidas abaixo da ansiedade: questões geralmente antigas enterradas quem nem sempre tem à ver com os parceiros atuais, atores que surgem na vida em contextos diferentes porém nos mesmos padrões, até que as questões guardadas sejam trazidas à tona e transmutadas - fenômeno chamado de reencenação.

Para reverter o quadro, além de rever os hábitos de trabalho, as chaves podem estar em conexão, senso de comunidade, unicidade. Dean Ornish, autor do livro Amor e Sobrevivência, diz que de acordo com estudos epidemiológicos que usa como base, a longevidade da pessoa não está em seus hábitos de saúde, e sim intimamente ligada ao número de interações sociais que tem todos os dias. Essas interações, baseadas nos relacionamentos - familiar, afetivo, de amizade e social - precisam ter qualidade e levar ao sentido de companheirismo e alegria. Dessa forma os conflitos gerados pelo vício em trabalho tendem a ser suavizados progressivamente.

Fonte: livro Conexão mente, corpo, espírito.
Imagem: Pixabay

Postagens mais visitadas