O campo eletromagnético do coração

Em um artigo publicado em 2005 na revista SHIFT, do Institute of Noetic Sciences, Rollin McCraty, Raymond Trevor e Dan Tomasino falaram do campo energético do coração em nosso corpo.



Segundo os estudiosos, "o coração gera o campo eletromagnético rítmico mais forte e extenso do corpo". A amplitude desse campo é sessenta vezes maior que o cérebro, permeando cada célula, e pode ser sentido a metros de distância do corpo. "As emoções negativas, como a raiva e a frustração, estão associadas a um padrão irregular, desordenado e incoerente dos ritmos cardíacos." As emoções positivas correlacionam-se a um padrão regular e coerente.


Além disso, quando mantidas por algum tempo, as "emoções positivas aparentemente dão origem a um modo de agir característico, que chamamos de coerência psicofisiológica". Esse modo se caracteriza por uma "maior eficiência e harmonia na atividade e nas interações dos sistemas do corpo", bem como por uma "redução do diálogo mental interior, menor percepção do stress, maior equilíbrio emocional e maior lucidez mental, discernimento intuitivo e desempenho cognitivo". Tem sentido pensar que quando as vibrações do coração são "coerentes", o corpo, a mente, as emoções e a alma estão em harmonia ou, talvez, em oitavas da mesma frequência - sua frequência original.     

*imagem pixabay
* texto de Penney Peirce

Postagens mais visitadas