Saiba mais sobre a Síndrome de Burnout e Transtorno de Ansiedade

Há algumas semanas, assistindo a um programa de tv (link aqui), ouvi falar sobre a Síndrome de Burnout. Como nunca havia ouvido falar sobre o assunto e me identifiquei com os sintomas, resolvi trazer um pouco sobre para conhecimento.

Síndrome de Burnout (vídeo 3)

Andréa Mota era uma executiva bem sucedida que sempre trabalhou no limite, além dos cuidados com casa e família. Percebendo que não estava bem, resolveu tirar férias na Bahia e no primeiro dia assustou-se com sintomas como dor de cabeça e cansaço extremos, dificuldades para mexer os braços e indisposição. Dois dias depois precisou buscar ajuda médica.

Essa síndrome é identificada em quem tem extrema dedicação à tudo e é como se o corpo, viciado em stress, entrasse em curto-circuito. Sou uma pessoa muito ativa (por característica pessoal e por necessidade) e várias vezes durante a vida percebi(o) chegar a esse limite e não imaginava ser uma doença. Por exemplo, quando escolho um dia para parar e não fazer nada, é frequente me sentir tão mal (cansaço e dores) que quero voltar a trabalhar de novo!!! O quadro abaixo mostra alguns dos sintomas.


Clique para ampliar

imagem daqui


Transtorno de ansiedade

vídeo 23 mostra a história de Marcela Motta, que tinha problemas como gastrite, hérnia de disco, insônia e dificuldades de concentração. A ansiedade é uma sensação natural do ser humano quando há medo, dúvida ou expectativa, porém no transtorno torna proporções significativas que interferem negativamente em sua vida.

O ansioso sente muito medo do futuro ou queria viver no passado, tem medo do que as pessoas vão pensar e evitam enfrentar situações importantes e decisivas por não conseguir superar a angústia. Em doses normais a ansiedade pode impulsionar a resolver questões para se libertar do sentimento incômodo. No transtorno o ansioso prefere conviver com a angústia da não solução a enfrentar a situação que provoca ansiedade por acabar travado por sensações ruins.

É contraditório porque a melhor maneira de acabar com a ansiedade é enfrentar a situação que a está causando, por outro lado a consciência do enfrentamento aumenta a ansiedade. O transtorno torna a resolução desse dilema mais difícil e o indivíduo se fecha.

O que fazer

O Dr. Rodrigo Affonseca Bressan - neurocientista explica que a grande dificuldade está no fato de que as doenças psicológicas não são aceitas, são vistas como frescura e o não tratamento limita a qualidade de vida. Muitos sentem culpa ou vergonha quando apoio, carinho e compreensão ajudariam muito.

Tranquilizantes, ansiolíticos e antidepressivos (sempre com prescrição médica) em ambos os casos   podem ajudar como paliativos, mas a única forma eficaz de resolver transtornos é repensar a vida, fazer atividades relaxantes e prazerosas, se colocar em prioridade, aprender a estar centrado no presente, a respirar, a conhecer seus limites e a respeitar-se, ou seja, reaprender a viver.

A reportagem mostra um grupo chamado Arte de Viver que usa a respiração como um meio de auxiliar a controlar a ansiedade e a depressão. No vídeo 24 há uma técnica mostrada em 2 minutos que ajuda a relaxar a trazer o indivíduo para o que há de mais importante: ele mesmo.


Textos complementares:

Burnout: alto índice de estresse ---> clique aqui
11 sinais que você pode ter Transtorno de Ansiedade ---> clique aqui

Postagens mais visitadas