Koans: pense de forma criativa

Os Koans são paradoxos utilizados especialmente por chineses e japoneses para mostrar a limitação em nossa comunicação verbal, utilizado no zen-budismo para transmissão de conhecimento. São enigmas que exigem a transcendência do pensamento racional e materialista, estimulando o pensamento criativo, o "pensar fora da caixa". Por esse motivo os Koans são citados em vários livros de física quântica, pela exigência da utilização do pensamento abstrato em seu entendimento e aplicação.




Segundo o livro O Tao da Física, de Fritjot Capra,  "os koans são enigmas absurdos, cuidadosamente preparados com o fito de fazer com que o estudante do zen se aperceba, do modo mais dramático, das limitações da lógica e do raciocínio. O palavreado irracional e o conteúdo paradoxal desses enigmas tornam impossível sua resolução através do pensamento. Os koans são elaborados precisamente para parar o processo do pensamento e, dessa forma, preparar o estudante para a experiência não-verbal da realidade." Só aqueles que conseguem encontrar respostas consistentes, porém fora do convencional, são considerados por seus mestres aptos, o que pode levar anos.


Em nossa vida prática, os koan, além de serem um passatempo fácil e inusitado, nos ajudam a pensar de maneira mais criativa, auxiliando na resolução de problemas. Também são um meio de quebrar cadeias de pensamentos excessivos e geralmente  negativos - pare e substitua o pensar por meditar sobre a resolução de um koan. E ainda, nos ajuda a treinar a capacidade de focar, acalmar a ansiedade, expandir a consciência através do pensamento abstrato e estimular a subjetividade.

É importante frisar que o objetivo do koan é encontrar uma solução que transcenda nossos paradigmas. Por exemplo, um dos meus preferidos é, "batendo duas mãos uma na outra temos um som. Qual é o som de uma única mão?" Em um livro li que a resposta de um estudante foi bater uma mão em uma mesa. Pensei, "nossa, que solução genial!" masss... a resposta estava errada, por se tratar de uma resposta materialista. É preciso quebrar o materialismo em sua resolução, e só assim, a resposta estará certa. A resposta pode não fazer sentido para outras pessoas por se tratar de uma perspectiva subjetiva.

Mesmo que não se chegue a um resultado espetacular, rsrsrs, que tal aprender alguns koans para exercitar o pensamento criativo em alguns momentos do dia? Separei quinze que considerei mais fáceis e interessantes, mas há muitos livros e textos na internet que trazem várias sugestões. Quem quiser deixar sua conclusão acerca de um koan nos comentários será ótimo! Vamos lá!

1 - Antes dos teus pais terem nascido, qual era tua natureza original?
2 - Quem pensa que entendeu se questiona; quem pensa que não entendeu questiona os outros; quem entendeu não diz nada; e quem não entendeu não diz nada!
3 - Qual é o som do silêncio?
4 - A própria mente desencaminha a mente; acautela-te contra a mente.
5 - Como se pratica a esgrima sem espada?
6 - Quem é você?
7 - Suba uma escada de 99 degraus até o último degrau. Agora,, suba mais um degrau...
8 - Qual era seu rosto original - aquele que você possuía antes de nascer?
9 - O pensamento lógico não pode ser usado para obter a compreensão; apenas com a sensibilidade da não-mente alcançamos a verdade.
10 - Quando estiver com fome, coma. Quando estiver cansado, durma.
11 - Terminaste a refeição? Então, vá lavar suas tigelas!
12 - Mal comeces a pensar se "tem" ou "não tem", és um homem morto!
13 - Batendo duas mãos uma na outra temos um som. Qual é o som de uma única mão?
14 - Todos os fenômenos são impermanentes. Tudo que nasce deve finalmente morrer. O que nasce e o que morre?
15 - O monge perguntou ao mestre: "como sair do Samsara*?" O mestre respondeu: " quem te colocou nele?"



*Samsara: ciclo de problemas no qual o indivíduo se sente preso até conseguir transcender o pensamento e a si mesmo.