Parte 1: Trabalhando com valores e sentimentos na busca por objetivos


Conforme colocado anteriormente, essa semana damos continuidade a uma série para ajudar na estruturação de planos e objetivos para o ano.

Essa escala segue um modelo parecido ao que Anthony Robbins apresenta em seus livros e seminários. Vários estudiosos já elaboraram gráficos similares baseados na frequência dos sentimentos. Todos defendem que quando mantemos um padrão negativo no inconsciente, baseado em crenças especialmente adquiridas na infância, mesmo que se deseje algo conscientemente sua realização não se torna possível ou não dá certo devido aos mecanismos autossabotadores.

Segundo Amit Goswami, "crenças negativas são como um software que já vem instalada em um hardware. São crenças que fazem parte do inconsciente coletivo e são difíceis de serem removidas. É preciso fazer um intenso trrabalho mental e espiritual para mudá-las".

Robbins nos traz essa escala a qual nomeia "Valores de empoderamento", ou seja, quanto mais próximos estamos consciente e inconscientemente do topo, maiores as chances de nos sentirmos realizados e portanto, de tomar atitudes adequadas na direção dos nossos objetivos, sem as distorções causadas pelos sentimentos negativos. Alguns dos padrões colocados por Robbins:


  • solidão: nasce da desconexão consigo e gera desconexão com o outro.
  • sufoco/sobrecarga: são valores que nos afastam do que somos. Traz pesar, desamparo, sofrimento com situações que estão além do controle, a pessoa tem a impressão de que os problemas são maiores do que consegue resolver.
  • inadequação: sentimento de rejeição em relação ao meio que busca reverter ocultando sua essência, se distorcendo para caber nos modelos alheios.
  • culpa/arrependimento/remorso: quando sente que violou um padrão de valor pré-estabelecido por si mesmo.
  • desapontamento: é o cultivar da expectativa que, quando não alcançado, não há o que fazer para alcançar pois geralmente acontece em relação ao outro.
  • frustração: raiva por não alcançar o objetivo, porém sabe que é possível alcançá-lo por depender de si mesmo.
  • raiva: é quando um valor cultivado pela pessoa que foi violado, algo que é importante para si dá errado.
  • mágoa: sentimento de que se perdeu alguma coisa.
  • medo: paralisação causada por acreditar que algo não dará certo, não merecimento ou achar que suas ideias merecem reprovação.


A partir do desconforto a situação começa a mudar. Nesse  ponto começa a ser possível buscar uma solução para reverter os padrões negativos. Investir nos padrões positivos que vem logo a seguir - por exemplo, contribuição é buscar meios de realizar algo que seja útil e benéfico para outras pessoas especialmente se não as conhece - é o melhor meio de, progressivamente reverter o padrão incutido no inconsciente.

Um dos meios práticos de perceber como o seu inconsciente está sendo comandado é rapidamente, sem pensar muito, ou seja, de forma bem instintiva, sem analisar as escolhas, anotar dos valores abaixo numa lista com os dez mais importantes para si hoje,  na ordem de prioridade. Dê uma pausa na leitura agora e faça o exercício antes de seguir em frente para não absorver interferências de julgamento.


aproximação
saúde
contribuição
integridade
equilíbrio
espiritualidade
reconhecimento
confiança e segurança
disciplina
foco
gratidão

espiritualidade
ousadia
determinação
coragem
disciplina
amabilidade
flexibilidade
prosperidade
compromisso
conhecimento
sucesso
aprovação
afetividade
alegria
comunicação
êxtase
liberdade
desafio


Pronto?

Os valores que ficaram de fora certamente não estão obtendo o seu foco no momento. Se a vida não estiver satisfatória é preciso avaliar esta lista procurando perceber o que precisaria estar nela, o que deveria sair, o que deveria entrar, o que precisa mudar de ordem, para que o seu padrão seja mudado e consequentemente, os objetivos alcançados. É útil elaborar uma nova lista e deixar as duas sempre à mão para consultas e reflexão.

Há ainda valores que nos afastam do que desejamos como desequilíbrio, insatisfação e ansiedade. Os valores que afastam precisam ser sempre reavaliados de acordo com os valores positivos que estão como prioridade em sua vida e tomadas as devidas ações com o intuito de que deixem de estar como foco em nosso cotidiano.

É útil também elaborar novas listas a cada cerca de 6 meses para perceber se as novas ações foram implementadas com sucesso e os objetivos estão sendo desenvolvidos, ou quando houver intuito de alcançar novos objetivos, que demandem novos valores.

Numa perspectiva pessoal fiz a lista há cerca de 6 meses, quando li um dos livros de Robbins, e percebi muitas respostas em relação ao que estava de fora e sobre o impacto que isso causava em minha vida. Hoje os valores são outros e certamente, com o passar do tempo, a reavaliação faz-se necessária uma vez que precisamos sempre nos colocar novos objetivos para nos manter no fluxo do Universo.