Filmes legais para aprender mecânica quântica - Parte 2

imagem daqui

Interestelar - recebendo 5 indicações ao Oscar, confesso que a primeira vez que vi o filme, sem nenhum estudo sobre mecânica quântica e com nível 1 de expansão de consciência, achei uma "pira" completa, e só, rsrsrsrs. Agora, considero um filme realmente genial para o entendimento de conceitos sobre a diferença entre as dimensões, buraco negro, buraco-de-minhoca, relação do espaço-tempo, teoria da relatividade, lei da gravidade e ainda, o amor, uma das energias mais poderosas do Universo. Enfim, riquíssima e maravilhosa aula aliando física clássica e mecânica quântica!


Fenômeno - apesar do recurso de utilizar um tumor cerebral como subterfúgio para explicar o superdesenvolvimento cerebral e perceptivo do personagem principal - afinal, uma explicação "dentro da caixa" muito bem aceita socialmente e bem representada pelas pessoas do entorno - Fenômeno mostra claramente o que é o famoso "estado de fluxo", de "iluminação". Não há nada de mágico, esotérico ou sobrenatural nisso - mais uma vez, os flashs de luz são somente representativos - e sim, um elevado estado de consciência e campo energético, no qual o personagem passa a enxergar a realidade por outras perspectivas, tem inúmeras ideias criativas em fluxo, ou seja, sem parar, soluções para grandes problemas da humanidade... mas infelizmente, as pessoas estavam mais interessadas no "fenômeno" do que em seu resultado, não estavam preparadas para ouvir o que ele tinha a compartilhar. Ou seja, um filme que ilustra muito bem por quê aquele que está em fluxo geralmente vive isolado, ou oculta sua condição.

Matrix - uma das séries mais clássicas para se compreender mecânica quântica - uma vez que sua base parte da influência da consciência sobre a matéria, ilustra também muito bem o motivo pelo qual este conhecimento tende a ser tão limitado sócio-culturalmente. Presos na Matrix, ou seja, mantendo os níveis de consciência em baixo patamar, agindo sobre a fragilidade pessoal de cada um, fazendo com que as pessoas desconheçam seu potencial de desenvolvimento, criatividade e ação, fica muito mais fácil manipular a massa e manter a realidade sobre o julgo do interesse dos que investem muito em estudos avançados, mas não os divulgam, bem como o poder fica limitado a uma minoria, quando cada um desconhece o próprio poder pessoal.