Inteligência Artificial: evolução (!) (?)


A Inteligência Artificial é um ramo da ciência da computação responsável por elaborar mecanismos e dispositivos que simulam a inteligência humana. Este ramo desenvolve, por exemplo, robôs capazes de realizar atividades antes realizadas por humanos. Por exemplo, há décadas atrás, um carro levava milhares de pontos de solda implementados por humanos. Hoje em dia, esse serviço, entre outros, é realizado por um robô.


Este é somente um dos exemplos da utilidade da Inteligência Artificial. Atualmente, todo e qualquer tipo de trabalho repetitivo pode ser aprendido pela máquina e reproduzido. Algoritmos definem a linha de trabalho - scripts que condicionam uma determinada reação de acordo com uma determinada ação.

Devido ao investimento na área, a estimativa é a de que daqui a 20 anos, 50% dos trabalhos realizados hoje por humanos tendem a ser desenvolvidos por robôs, por dois pontos primordiais: robôs tendem a ser muito mais rápidos, e muito mais precisos, além de ser mais econômico.

Isso mostra a urgência no investimento da expansão da consciência para que sejam criados novos nichos de mercado a serem desenvolvidos por humanos. Ideias criativas e inovadoras serão fundamentais para manter o ser humano ativo no mercado de trabalho. Porém não se pode negar as maravilhas tecnológicas que facilitam muito inclusive, a vida dos próprios humanos.

Por outro lado, é preciso estar atento às evoluções que nem sempre estão expostas de maneira clara à população. Por exemplo, já há mísseis capazes de analisar as variáveis e "escolher" onde deve cair com maior eficiência; há algoritmos capazes de através de análise, determinar leis físicas sozinhos, o que um humano precisa de muito estudo e testes para concluir; há uma robô perfeitamente similar a uma mulher capaz de conversar com qualquer pessoa.

A questão é: qual é o limite ético do uso da Inteligência Artificial? Qual o interesse das pessoas que investem milhões em estudos e recursos como aumento de memória e de velocidade de processamento? Até que ponto o uso da robótica é capaz de preservar os direitos e relações humanas? Em uma sociedade que privilegia o que é mais cômodo, os avanços com certeza são bem-vindos, mas quem tem se preocupado sobre qual a fronteira no qual o avanço pode virar domínio?

De qualquer forma, a evolução tecnológica é uma realidade e, quando se pensa no quanto precisamos nos desenvolver tecnologicamente, não se pode esquecer o quanto a humanidade, em breve, será mais necessária e impactante do que nunca!