Espelho da realidade: 4. A noite escura da alma


O gatilho do espelho "a noite escura da alma" acontece quando a pessoa se apega ao que tem por segurança e não, por realização e alegria.



"Existe uma diferença sutil, embora significativa, entre deixar nosso emprego, amigos e romance porque nos sentimos realizados e a situação de se agarrar a todos eles por causa do medo de que não exista mais nada para alcançarmos. Em todos os tipos de relacionamentos pode ocorrer uma certa tendência de ficarmos presos ao status quo, esperando que alguma coisa melhor apareça. Esse tipo de apego pode resultar do fato de não termos consciência do que estamos fazendo, ou pode aparecer por causa do medo de balançar o barco e de encarar a incerteza que vem a seguir." Como diz Gregg, a pessoa "joga com a segurança".

A noite escura da alma se desenvolve quando a pessoa não se sente feliz em algum ou alguns campos da vida - profissional, relacionamento, lazer, saúde - porém busca ocultar isso, passando a impressão de que está vivendo como era de se esperar. Esse estado gera frustração porque o interior pede mudança, mas a pessoa não sabe como compartilhar ou comunicar isso às pessoas de seu convívio.

A repetição deste padrão gera um estado de negativismo, que leva ao disfarce dos sentimentos através de tensão, hostilidade ou presença com distância emocional das situações do cotidiano. Conforme o tempo passa, a pessoa permanece nesse estado esperando que algo aconteça, e quando alguma oportunidade aparece, a pessoa pode se agarrar à isso com toda a sua força.

Porém, é preciso que a pessoa utilize essa coragem que surge neste momento para resolver seus maiores medos, que emergem para manter a pessoa presa ao mesmo padrão por instinto, sendo este enfrentamento interior mais importante até do que a própria mudança. É para isso que o intervalo de tempo chamado "a noite escura da alma" aparece. É um momento onde tudo parece dar errado, onde todos os medos vêm à tona para que possam ser enfrentados, liberados e assim, dar espaço a uma vida de fato, plena. Costuma ser um período de sofrimento e dor, mas que, se encarado sem amargura e sim, como uma grande oportunidade de crescimento e aprendizado, faz brotar um ser muito mais forte e capaz de ir atrás dos seus sonhos sem se abalar com facilidade ou sem se submeter ao status quo.

O ideal seria que a pessoa mudasse suas escolhas, se assim o desejasse, nos momentos em que a maior parte da vida está andando bem, o que só acontece em quem tem muito domínio sobre seus medos, assumindo trocar o certo pelo duvidoso. Porém, para chegar nesse patamar, é preciso aprender com as noites escuras da alma a se fortalecer interiormente para ter coragem para abraçar suas melhores escolhas, ao invés de abandonar cada vez mais à própria escuridão.

Portanto, este espelho mostra que há insatisfações a serem resolvidas que levam a momentos difíceis, no qual tudo parece virar um caos, e basta somente ter calma e abertura para encarar os próprios medos, permitir-se crescer dentro deles e realizar as mudanças necessárias para trazer maior estado de satisfação e felicidade.