Doenças emocionais de A a Z - Cérebro

Quando a pessoa reprime as emoções, fazendo só com que o racional se manifeste na resolução dos problemas, desenvolve problemas na cabeça. O cérebro é como se fosse um computador, o painel de controle do corpo. É também considerado o comando da razão, da inteligência, embora o hemisfério cerebral direito corresponda às emoções.



O fluxo de informações que entra cobra um preço muito alto de muitas pessoas, principalmente as que têm problemas com figuras de autoridade (pai, mãe, esposa, marido, chefe). Ao longo da vida, muitas dessas pessoas tiveram uma tendência a abrir mão de sua autoridade, deixando que outras as guiassem, às vezes às custas delas próprias. Em algum momento as energias reprimidas exigem que a pessoas assuma responsabilidade sobre suas próprias ideias, livrando-se de tudo o que atrapalha seu processo pessoal. Quando isso é mais uma vez reprimido, o tumor surge em resposta de raiva e ódio contra as pessoas que o comandam, portanto surge por conflitos duradouros entre familiares, gerando ressentimentos guardados.
Tumores também podem surgir quando a pessoa se recusa a mudar os padrões negativos enraizados no cérebro, são sinal de teimosia, insistência no mesmo padrão. Quando os tumores aparecem em crianças, mostram esse desequilíbrio na relação dos pais.

Rigidez cerebral e tumores também costumam surgir devido a desconfiança, em pessoas que não conseguem confiar no outro. Posteriormente serão abordadas outras doenças relacionadas à cabeça e cérebro.

Para ficar livre de riscos de problemas na cabeça (que incluem ferimentos e acidentes) e reverter tumores, é preciso perdoar os ressentimentos guardados e expandir a mente para aceitar novas ideias, novos caminhos.

Novo padrão sugerido: Tenho facilidade em reprogramar minha mente. A vida é feita de mudanças e minha mente tem facilidade para compreender isso.

***

Para que se possa abranger o maior número de doenças possível, publicaremos as doenças periodicamente em ordem alfabética. É importante sempre avaliar com calma cada caso, olhando para o interior, conversando consigo mesma/o para perceber qual é o padrão arraigado e como este pode ser substituído por um novo padrão, visto que todas as doenças partem do eu, do que criamos em nosso interior e se manifesta no exterior. Em seguida, fale consigo  várias vezes sobre o novo padrão e sempre com a postura de que a doença já está curada.

Livros de referência:
  • Você pode curar sua vida
  • Linguagem do corpo
  • Metafísica da saúde
  • Tratado de Medicina Floral
imagem freepik