Curso online, ensina mesmo? + Dicas para estudo

Como o acesso à internet popularizou-se há poucos anos, ainda fazemos parte da cultura de que para se aprender de verdade é preciso estar em uma sala de aula presencial. Esse post visa mostrar que não é bem assim, mostrando as vantagens do ensino à distância e ainda, quando esta modalidade não deve ser a escolhida.



Existem cursos de boa ou má qualidade, sendo presenciais ou não, assim, como existem alunos comprometidos ou não, independente da modalidade. O fato de estar em uma sala de aula não é garantia de aprendizado, somente reforça a questão do compromisso, da presença. Minha experiência pessoal com cursos online tem sido muito positiva, já há alguns anos. Por exemplo, online tenho a possibilidade de acesso a cursos que não existem em minha cidade. Com certeza essa possibilidade fez com que eu estudasse cerca de 90% a mais do que se cursasse somente aulas presenciais.


Por outro lado, há quem tenha melhor aproveitamento interagindo com professor e alunos presenciais, além de ver nessa modalidade maior facilidade de comprometimento, uma vez que precisa comparecer para estudar. A realidade é que o sucesso de um ou outra modalidade depende, sobretudo, da subjetividade de cada um, da maneira como seu modo de aprendizado responde melhor.

São inúmeras as questões que podem interferir na hora de escolher ou não um curso online, então listei algumas vantagens para ajudar:

ALGUMAS VANTAGENS:

- O aluno pode escolher dia e horário de estudo, adaptando de acordo com sua disponibilidade, ou seja, não fica "amarrado" a horários fixos;
- Tem um leque de opções de escolha muito maior, tendo acesso a cursos diferentes dos oferecidos localmente, inclusive a cursos ministrados em outros países, sem sair de casa;
- Pode-se estudar em qualquer lugar, até mesmo em uma fila, sala de espera ou trânsito parado, desde que tenha internet ou tenha baixado os materiais;
- Há a possibilidade de maior concentração, uma vez que não há distração com a conversa de outras pessoas;
- Os valores costumam ser mais acessíveis, uma vez que não é preciso manter uma equipe presencial e uma grande estrutura física todos os dias;
- Algumas pessoas tem maior facilidade para tirar dúvidas, pois não se sente exposta como acontece presencialmente;
- Não há o desgaste e/ou perda de tempo com locomoção para chegar ao local de estudo;
- Há vários cursos oferecidos gratuitamente com qualidade.

Agora, é preciso conhecer o outro lado, os casos em que cursos online podem não ser a melhor escolha.

Evite essa modalidade se:

- Tem dificuldades para se organizar e se disciplinar para estudar sozinho, ou seja, se precisa que alguém monitore seu estudo;
- Precisa da interação física com professores e outros alunos para fixar o conhecimento;
- Prefere ter um horário fixo de estudo fora de casa a montar e manter seu próprio horário de estudo em casa;
- Tem dificuldades para manter o foco quando está com internet, ou seja, no horário reservado para o estudo não consegue se dedicar à essa finalidade, mexendo ao mesmo tempo no e-mail ou facebook, por exemplo;
- Tem dificuldades para interpretar textos e exercícios com autonomia.

O importante é encontrar, conhecer e compreender seu jeito de estudar para poder decidir qual modalidade será mais produtiva para você. Outro ponto importante é conhecer a instituição e/ou verificar se os instrutores são credenciados e se realizam cursos constantes de atualização profissional.

Outra informação relevante é prestar atenção à necessidade de registro especial de acordo com a modalidade:

- Cursos livres: cursos de habilidades como culinária, artesanato, terapias holísticas, desenvolvimento pessoal, estratégias de vendas, aulas sobre informática... - não exigem registro especial, sendo o registro do certificado dispensável e opcional, em instituições como RDA.

- Ensino formal: cursos da grade curricular formal de ensino fundamental, médio, graduação, pós-graduação, mestrado - precisam da aprovação do MEC para validação do certificado, esta é uma informação importante na hora de escolher essa modalidade.

Minha experiência pessoal com cursos online mostra que essa modalidade é tão ou até mais eficiente que o ensino presencial, desde que se combinem alguns fatores:

- O curso esteja de acordo com o que a pessoa gosta de estudar, para que haja motivação;
- É primordial conhecer quais são os recursos oferecidos antes de escolher um curso - livro, áudio, vídeo, mapa mental - para ver se atendem à sua forma de aprendizado (visual, auditiva, sinestésica). Essa informação geralmente está presente em algum lugar na página de anúncio do curso;
- Haja o compromisso pessoal com o estudo e conclusão;
- O aluno esteja aberto a ampliar seus paradigmas e conhecer novas ideias e novas formas de aprendizado.

Para finalizar o post, deixo este vídeo com 11 dicas de estudo que podem ajudar a quem escolheu um curso online: