PNL1: "O Mapa não é o território"

Nos próximos dias serão colocados aqui no blog seis dos principais conceitos de Programação Neuro-Linguística capazes de quebrar crenças limitantes.




O primeiro, "o mapa não é o território", mostra que vivemos a partir das informações que absorvemos desde a infância, mas é preciso compreender que não se tem todas as informações. Por exemplo, quando vemos um mapa vemos um esboço muito parecido com a realidade, mas não conseguimos ver os detalhes mais sutis, e assim também é com a vida. Temos um esboço do que é a realidade, construído desde a infância, muitas vezes apresentado por outras pessoas - que por sua vez têm seus próprios mapas - e através dos mapas sociais e culturais, mas isto não quer dizer que temos conhecimento absoluto e verdadeiro do "território".



Portanto, a chance de se estar errado em alguns casos é real, pois o ser faz a leitura da vida (e toma suas atitudes a partir disso) somente baseado no que vive, ouve, sente, e não na realidade de fato. É como se cada um tivesse um mapa que  orienta para onde se deve ir mas que não mostra os detalhes do caminho.
 
Os conflitos nascem porque cada pessoa acredita que o seu mapa é o único que representa a verdade, sem compreender que representa a sua realidade, e não a do outro, ou não a do todo. Quando a pessoa se dispõe a encarar o mapa de sua vida somente como um mapa e torna-se aberta pra mudar, conhecer a realidade, viver novas experiências, explorar ideias que estão fora do "mapa", consegue superar suas crenças, encontrar a sua verdade e crescer interiormente.