Doenças emocionais de A a Z - Asma

A asma é despertada pela hiperatividade dos brônquios, o que leva à obstrução das vias respiratórias. Tem como características tosse, chiado no peito e falta de ar desencadeada por fatores externos ou emocionais.


A pessoa vítima de asma em geral vive pressionada por um amor sufocante, que lhe desperta a sensação de que é incapaz de respirar sozinha e fica condicionada a isso. Sente que precisa conter o que sente e reprime suas manifestações de sentimentos, como o riso ou o choro. Quando permite que esses sentimentos venham à tona, rapidamente os contém e se fecha novamente. Quando permite o fluir desses sentimentos, não raras vezes acaba inconscientemente desencadeando uma crise asmática, pois está condicionada à repressão.



O asmático inspira com forma enchendo os pulmões, mas quando expira tem a sensação de estar expondo seus conteúdos internos, e é nesse momento que acontece a crise. A pessoa que sofre com a asma deseja amor, mas não consegue ser amável, e então começa a complicação, porque se deseja receber atenção e amor, mas não se tem a vontade de fazer algo em troca. O asmático exige que as pessoas façam tudo por ele. Quando sente que não está recebendo a atenção desejada, se fecha, se isola.

O problema é que o asmático não revela os sentimentos mais íntimos até porque muitas vezes não se dá conta disso. Pode revelar uma fachada tranquila e feliz, quando na verdade guarda um sentimento de inferioridade seguido de egocentrismo - deseja ser o centro da atenção e a crise faz com que as pessoas se voltem para ele. Esse é o motivo pelo qual a asma é mais frequente em crianças e as crises são geralmente despertadas em casa - a criança ainda está desenvolvendo autoestima e deseja maior atenção de familiares pois foi condicionada a acreditar que precisa do amor e da atenção dos outros para viver (respirar).

Quando se estende ou aparece na adolescência ou idade adulta significa que a pessoa não amadureceu o quanto deveria, não solidificou os estados internos de autoconfiança e autonomia.

Para reverter a asma a nível emocional é preciso que a pessoa aceite seus sentimentos internos por mais difícil que seja admitir seu sentimento de inferioridade, e trabalhe no sentido de fortalecer sua autoestima compreendendo que todos os seres são amados incondicionalmente pelo Todo. Também deve evitar a dependência emocional e a valorização exacerbada da atenção de outras pessoas para quebrar o mecanismo de resposta do meio para suas crises, ao qual está condicionada.

Novo padrão sugerido: eu escolho ser livre  e compreendi a segurança de me amar incondicionalmente.