Doenças emocionais de A a Z - Aperto na garganta, no peito ou estômago



A sensação de aperto refere-se à medo, insegurança, e ausência de confiança no processo da vida. A região onde o aperto se apresenta está ligada à representação do chakra.


Quando o aperto é na garganta em geral refere-se ao medo de se expressar ou exercer o potencial criativo. As impressões estão sendo sufocadas, sejam palavras, capacidade de chorar ou rir, dando a impressão de que há algo entalado, preso na garganta - tanto que uma das expressões mais conhecidas é "engole esse choro". A pessoa teme ser repreendida ou inadequada, ou precisar justificar sua expressão e devido à essa insegurança, sofre o aperto. Para reverter, é preciso que a pessoa elabore e liberte o que está deixando de expôr, ou encontre meios de se expressar, oral ou criativamente, lembrando que é sempre mais saudável respeitar a necessidade de expressão do seu interior do que o "engolir" o medo ou bloqueio.

Aperto no peito e sensação de angústia indica dificuldade para liberar seu potencial emocional. Os sentimentos estão sendo reprimidos devido à pessoa pensar ou sentir não se adequarem à sua realidade ou à sua pessoa, ou teme rejeição em caso de expressão. Refere-se ainda ao medo de perder alguém. Para reverter é preciso que a pessoa compreenda os sentimentos como algo inerente ao ser humano e permita-se sentir, imaginando sempre que possível o coração envolto em uma camada de luz rosa. Só liberando o sentimento é possível viver com leveza, a repressão faz com que a angústia e o medo de ir em frente, cresçam.

O aperto no estômago refere-se às questões do ego. Com medo de críticas ou de não corresponder à expectativas, o aperto no estômago denota ansiedade. É uma característica de quem costuma se cobrar muito ou que sofreu críticas muito marcantes na infância, que feriram seus dons essenciais. Está ligado a problemas de estima, de amor próprio. A pessoa teme deixar de ser querida e amada se não corresponder a um modelo imposto por outras pessoas ou pela sociedade. Não confia no fluxo da vida e procura manter o controle sobre tudo o que é possível, e quando sente que esse controle é abalado por algum motivo, sente o aperto. Para reverter essa doença é preciso um trabalho interior intenso de acolhimento das características e dons essenciais, com fortalecimento da ideia de que o Universo é perfeito e como somos uma expressão universal, somos perfeitos também em nossas características inerentes.

Novo padrão sugerido: eu me amo e me expresso com segurança. Aceito que a expressão oral, sentimental e criativa me levam a um estado de vida saudável e genuíno. Eu amo e liberto meus dons, pois entendi que é seguro viver sendo quem eu  sou.

***

Para que se possa abranger o maior número de doenças possível, publicaremos as doenças periodicamente em ordem alfabética. É importante sempre avaliar com calma cada caso, olhando para o interior, conversando consigo mesma/o para perceber qual é o padrão arraigado e como este pode ser substituído por um novo padrão, visto que todas as doenças partem do eu, do que criamos em nosso interior e se manifesta no exterior. Em seguida, fale consigo  várias vezes sobre o novo padrão e sempre com a postura de que a doença já está curada.


Livros de referência:

  • Você pode curar sua vida
  • Linguagem do corpo
  • Metafísica da saúde