Doenças emocionais de A a Z - Ansiedade



A ansiedade é um sentimento presente em inúmeras doenças que serão tratadas mais adiante, como obesidade, problemas respiratórios e relacionados à garganta, hipoglicemia, síndrome do pânico, entre outras.
O sentimento de ansiedade carateriza-se por dificuldades para estar no momento presente. Em geral a pessoa está vivendo no passado e/ou projetando o futuro, de uma forma opressora - com tristeza pelo que aconteceu e/ou com medo do que está por vir, do desconhecido.

Por essa ausência de viver no presente não raras vezes a pessoa acaba sobrecarregada e angustiada por não conseguir dar conta de tudo o que precisa fazer, pois seu potencial para resolução dos problemas está dissolvido, diluído entre presente, passado e futuro, esquecendo que só temos o hoje para resolver dificuldades. 

A ansiedade também é potencial responsável por desequilíbrios energéticos, que além das manifestações físicas, podem causar neuroses e psicoses devido ao medo da vida. A pessoa tem medo de perder o controle sobre a vida, pois não confia em seu processo, e com isso acaba absorvendo atribuições dos quais não consegue dar contato com o intuito de controlar tudo o que puder para se sentir segura, gerando um círculo vicioso -> necessidade de controle sobre a vida para domar o medo -> mais atribuições -> mais ansiedade -> mais medo, até entrar em colapso ou o avesso, em estado de depressão e apatia.

A ansiedade será melhor explorada quando relacionada a outras doenças. Para modificar esse padrão é preciso que a pessoa comece a se trazer para o presente sempre que for possível, independente do contexto no qual está vivendo. É permitido alimentar-se com boas lembranças do passado ou com a alegria que a conquista dos sonhos futuros podem trazer, mas esses momentos de divagação não podem fazer com que esqueça que o futuro se tornará naturalmente satisfatório e seguro a partir do momento em que a a pessoa focar nas ações do presente.

Esse focar nas ações do presente também deve propiciar uma avaliação da vida globalmente para perceber se o excesso de atribuições não é uma fuga da realidade insatisfatória, e ainda, avaliar o que faz a vida ser satisfatória e positiva, desenvolvendo ações nesse sentido.

Novo padrão sugerido: eu me amo e me aceito completamente. Eu escolho agir no agora e confiar no fluxo da vida pois agora sei que é seguro viver e que mereço ser feliz.

***

Para que se possa abranger o maior número de doenças possível, publicaremos as doenças periodicamente em ordem alfabética. É importante sempre avaliar com calma cada caso, olhando para o interior, conversando consigo mesma/o para perceber qual é o padrão arraigado e como este pode ser substituído por um novo padrão, visto que todas as doenças partem do eu, do que criamos em nosso interior e se manifesta no exterior. Em seguida, fale consigo  várias vezes sobre o novo padrão e sempre com a postura de que a doença já está curada.


Livros de referência:

  • Você pode curar sua vida
  • Linguagem do corpo
  • Metafísica da saúde