Doenças emocionais de A a Z - Alzheimer (mal de)

O mal de Alzheimer se caracteriza pela perda progressiva da memória. Perde-se a noção de espaço e tempo até chegar a um estado de demência e alienação em relação ao presente.



A doença surge em pessoas que têm dificuldade de aceitar a vida como ela é. Passaram sua existência buscando controlar pessoas, pensamentos alheios e fatos o que é impossível, gerando muita frustração e raiva com as quais a cada dia fica mais difícil lidar.


Com o passar do tempo o ser percebe ser impossível realizar esse controle, ou seja, o poder transformador sobre as situações e pensamentos dos outros, e cansado de tentar, entra inconscientemente em estado de demência como um meio de relaxar.

Após a apresentação desse contexto fica claro que as pessoas com essa doença tem em si um orgulho que oculta na verdade um conteúdo de medo e insegurança. Por esse motivo é tão difícil convencer um paciente com Alzheimer a realizar um tratamento, pois esse padrão de orgulho. medo e insegurança o impede de admitir que está com problemas para controlar sua realidade e principalmente, seus sentimentos limitantes.

É importante ressaltar que os padrões de demência atingem os níveis conscientes, mas o inconsciente permanece preservado. Portanto, para quem lida com pacientes portadores desta doença, a dica é a de que continuem tratando e conversando normalmente, buscando mostrar o lado positivo da vida, contando histórias engraçadas e leves, sem acusações ou ofensas que não levariam a nada. Desse modo consegue-se aliviar o sofrimento daqueles que estão em clausurados dentro da prisão que criaram para si por excesso de sentimento de orgulho e busca de controle.

Novo padrão sugerido: tudo acontece na sequência perfeita e eu aceito e acolho a realidade. Solto meus medos e escolho estar em paz com tudo e com todos.


***

Para que se possa abranger o maior número de doenças possível, publicaremos as doenças periodicamente em ordem alfabética. É importante sempre avaliar com calma cada caso, olhando para o interior, conversando consigo mesma/o para perceber qual é o padrão arraigado e como este pode ser substituído por um novo padrão, visto que todas as doenças partem do eu, do que criamos em nosso interior e se manifesta no exterior. Em seguida, fale consigo  várias vezes sobre o novo padrão e sempre com a postura de que a doença já está curada.


Livros de referência:

  • Você pode curar sua vida
  • Linguagem do corpo
  • Metafísica da saúde