Musicoterapia: atuação e música para limpeza, ativação e alinhamento dos chakras

A música como forma de terapia influencia a estrutura e funções do sistema nervoso central e sistema nervoso autônomo, impactando também nas glândulas endócrinas e órgãos internos. Todo esse complexo é combinado com a obra musical, ou seja, com a melodia, harmonia, ritmo, timbre e disposição psíquica particular de cada um para surtir efeitos positivos. Pertence ao ramo da medicina de recuperação.




A partir do conjunto das características mencionadas (arranjo musical + perfil pessoal) a música pode promover ou bloquear a sensibilidade emocional da pessoa, bem como sua memória, imaginação e representações mentais. Quando bem utilizada promove uma espécie de massagem única que ajuda a eliminar o stress, a ansiedade, a promover limpeza no campo sutil e consequente restabelecimento da assinatura energética.

É capaz também de promover melhor qualidade de vida através de pontos a considerar como prevenção, reabilitação e tratamento. Cada um tem sons internos particulares e quando uma pessoa está doente - físico, metal ou emocionalmente - esses sons internos acabam saindo do seu ritmo natural, harmônico, entrando em desequilíbrio. Nesse momento a música pode ser usada como tratamento auxiliar de recuperação.

As músicas mais indicadas são as instrumentais, porém ritmos como jazz, samba, música indiana e tango geram benefícios energéticos. Os melhores horários para serem utilizadas são no início da manhã ou no final do dia, antes de dormir. É preciso alguns dias de tratamento para que seus efeitos sejam percebidos. As músicas como terapias são muito úteis em estados de depressão,  ansiedade, melancolia, agressividade, distúrbios de aprendizagem e sociais. 

Alguns dos efeitos mais positivos são obtidos através dos seguintes instrumentos:
  •  Piano: combate depressão e melancolia
  •  Violino: combate a sensação de insegurança
  •  Flauta doce: combate nervosismo e ansiedade
  •  Metais de sopro: inspiram coragem e impulsividade

Para ser utilizado com eficiência  o terapeuta precisa conhecer bem a função dos instrumentos e elementos musicais, o impacto que provocam no organismo, a relação das notas musicais com os chakras e o perfil energético de seu cliente. Via de regra cada chakra está relacionado a uma nota musical como segue abaixo:

 1 - básico: Dó
 2 - umbilical: Ré
 3 - plexo solar: Mi
 4 - cardíaco - Fá
 5 - laríngeo - Sol
 6 - frontal - Lá
 7 - coronário - Si 

Para quem desejar fazer uma experiência, fica a indicação de um vídeo muito interessante com uma sequência musical relacionada aos chakras. É interessante notar, através das imagens, a diferença de arranjo e nota musical x com qual chakra está relacionado. Ouça, sinta e observe a reação em cada região do corpo. No total é mais de uma hora de música, porém o arranjo se repete, então são 35 minutos de sequência completa. A única contra-indicação é ouvi-la dirigindo ou operando máquinas, pois a sequência induz ao estado alfa de redução de atividade cerebral.





O assunto é vasto e muito interessante. Posteriormente publicaremos mais sobre o tema. Há previsão de abertura de um curso na área no Portal em construção para o início de 2018.


imagem freepik